O JULGAMENTO DE ADOLF HITLER

PROJETO:

“O JULGAMENTO DE ADOLF HITLER”

 

INTRODUÇÃO

 

            Desde os primórdios da civilização, através de Heródoto, considerado por muitos pesquisadores como o “pai da História”, que sua existência vem sendo uma ferramenta de grande importância para estudar e relatar o passado. E ao longo desse percurso ao qual a História faz, alguns acontecimentos marcaram e marcam a humanidade. Guerras, epidemias, catástrofes, surgimentos de ideologias, o nascimento de Cristo, entre outros. Porém, um destes acontecimentos deixou profundas cicatrizes, o holocausto promovido pelo ódio do líder alemão Adolf Hitler.

             Adolf Hitler, considerado por muitos como um dos maiores vilões da história, nasceu em 20 de abril de 1889. Seu pai chamava-se Alois Hitler e era um inspetor de alfândega da cidade de Braunau, Áustria. Como queria se tornar artista, Hitler candidatou-se em 1907 à Academia de Belas Artes de Viena. Mas não teve sorte e em 1908 seu pedido foi recusado. Como ele passava a maior parte de seu tempo livre com ocultistas e extremistas dos dois lados do espectro político, acredita-se que essa convivência tenha influenciado seu desenvolvimento intelectual e reforçado seu ódio pela classe média, e por pessoas de descendência judaica.
             Quando a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) teve início, Hitler tentou entrar para o exército austríaco, mas foi rejeitado. Em seguida, ele conseguiu se alistar no exército alemão. Inclusive, devido à sua bravura, ele chegou a ganhar a Cruz de Ferro. Mas, depois do fim da guerra, como tantos outros, ele também não conseguiu arrumar emprego. A Alemanha do pós-guerra passava por uma transformação social e o colapso da monarquia e da economia tornaram o terreno fértil para o crescimento de filosofias extremistas, que iam do comunismo ao nacionalismo. Nessa época, Hitler viajou para Munique, onde se tornou um dos primeiros membros do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães – abreviado como Nazista.

 

JUSTIFICATIVA

            O projeto O julgamento de Adolf Hitler encontra justificativa na Lei de Diretrizes e Bases nº 5.692/71 que versa sobre os trabalhos interdisciplinares nas Instituições de Ensino brasileiro, respaldada ainda na nova LDB de nº 9.394/96. O projeto tem como intuito, além da interdisciplinaridade, buscar o conhecimento histórico através de novas ferramentas educacionais, fora do âmbito/ambiente tradicional escolar – a encenação de um acontecimento de grande repercussão mundial.

 

OBJETIVOS

Objetivo geral

  • Mostrar que o conhecimento histórico pode ser transmitido através de diversas formas, como, por exemplo, uma encenação de um acontecimento passado, o julgamento do líder alemão Adolf Hitler.

Objetivos específicos

  • Fazer o julgamento de Adolf Hitler através de uma encenação apresentada por alunos dos 9º anos do IDFG;
  • Apresentar aos discentes outras possibilidades de se aprender História;
  • Mostrar que é possível um trabalho interdisciplinar entre as diversas disciplinas escolares;
  • Instigar o aluno a trabalhar em grupo;
  • Revelar aos envolvidos que a matemática pode ser utilizada no seu cotidiano através de gráficos e dados estatísticos;
  • Fazer com que o estudante entenda que o comportamento ético é essencial para a manutenção de uma sociedade mais justa e igualitária;
  • Compreender a importância da Biologia como um campo essencial do conhecimento humano.

 

PÚBLICO ALVO

  • Estudantes dos 9º anos

 

DISCIPLINAS ENVOLVIDAS

  • História (Luiz Paulo Bezerra); Elaborador do Projeto
  • Sociologia (Thaís); Elaboradora do Projeto
  • Geografia (João Flávio) ???????
  • Matemática (Débora/…) Elaboradora do Projeto
  • Biologia (Rubiana) ???????
  • Coordenação (Cláudia/Pedrinho) Elaboradores do Projeto

 

CONVIDADOS

  • Prof. Danilo (juiz)
  • Prof. Rubens (Hitler)

 

LOCAL

  • Auditório do IDFG

 

LOGÍSTICA DO TRABALHO

 

Segmentos da defesa:

 

TA                   representação da defesa (advogados), policiais e jornalistas;

TB                    captar testemunhas, elaboração dos dados estatísticos e jornalistas;

 

Segmentos da acusação:

 

TC                   elaboração dos dados estatísticos, policiais e jornalistas;

TD                   captar testemunhas, jornalistas e seguranças;

TE                   representação da defesa (advogados) e jornalistas;

Compartilhe esse conteúdo